Sustentabilidade começa em casa: reaproveitamento de recursos naturais gera economia e responsabilidade ambiental - Metta Imobiliária


Escassez de recursos, crise energética, longos períodos de seca, aquecimento global, ilhas de lixo nos oceanos, poluição de nascentes são exemplos de problemas que enfrentamos e dos quais ouvimos falar todos os dias. São questões graves e que necessitam de soluções urgentes. Ao passo em que os problemas com o meio ambiente crescem, aumentam também as preocupações com sustentabilidade. Mas esses cuidados não dependem apenas de políticas públicas, eles devem começar com a mudança de hábitos no dia a dia. Pequenas atitudes individuais que reaproveitem recursos naturais resultam em responsabilidade socioambiental, geram e menor impacto ambiental e são ações fundamentais para o planeta.

Em razão dessa tendência, a busca por casas sustentáveis vem crescendo nos últimos anos e são desejadas por casais e famílias preocupadas com a natureza e com a comunidade em que estão inseridas, sem abrir mão do conforto e de elementos tecnológicos. A cultura da sustentabilidade já está enraizada em muitas sociedades – em cidades com muitas árvores e matas, como Florianópolis é mais fácil entrar no clima e deixar a natureza entrar na sua casa. Separamos seis dicas para que você tenha uma casa sustentável. Confira!

 

6 dias para casas com mais sustentabilidade

1. REÚSO DA ÁGUA DA CHUVA: Reaproveitamento de recursos e economia

Em alguns estados brasileiros, como os da região Sul, a oferta de chuva é bastante elevada, e a captação de água pluvial para usos como irrigação de plantas, lavação de áreas externas; descarga de vasos sanitários, por exemplo, pode representar uma economia de até 50%. Captar, armazenar e reutilizar água da chuva para uso não potável não exige grandes investimentos.

O sistema básico é composto de: bacia coletora no telhado; calhas, que reúnem a água captada; filtros – grosseiro, para reter resíduos sólidos, de areia, para reter agentes contaminantes, e desferrizador, para reter ferro e outros minerais, como manganês –; separador de primeiras águas; unidade de desinfecção (que pode ser por cloro, ozônio ou radiação ultravioleta); cisterna; sistema de pressurização; reservatório elevado; rede /  tubulação de aproveitamento.



2. TELHADO VERDE: Conforto térmico e espaço de convívio

Os benefícios da implantação de telhado verde em uma construção são sentidos não somente por quem vive nela, como também no seu entorno. A colocação em laje de concreto é simples e o segredo está em impermeabilizar e preparar perfeitamente a laje antes da colocação do substrato. Também é importante não encostar a grama nas bordas, preenchendo o espaço com argila expandida, permitindo o escoamento. Entre os benefícios, estão:

  • Telhado verde é capaz de absorver até 90% mais calor que telhas convencionais
  • Melhora a qualidade do ar, pois produz oxigênio e regula a umidade no seu entorno.
  • Promove isolamento acústico, absorvendo ruídos da rua.
  • Além disso, pode se tornar um agradável espaço de convívio com um jardim suspenso.

 

3. HORTA DOMÉSTICA: Vegetais frescos a qualquer hora

Cuidar de uma horta caseira é um ótimo hobby que proporciona bons momentos e é mais uma ação que gera sustentabilidade dentro de casa, além de ter hortaliças frescas e orgânicas, livres de qualquer substância nociva, ao alcance das mãos. Ter uma horta é fácil e, quem tem pouco espaço pode fazer uma horta vertical – excelente para pequenas varandas. Há diversas estruturas prontas para hortas verticais, encontradas em lojas de materiais de construção e acabamento. Se optar por uma horta horizontal, as floreiras são uma boa opção, pois podem conter espécies diferentes.

O que pode ser plantado? Praticamente, todos os temperos, como alecrim, tomilho, orégano, manjericão, pimentas etc.; verduras, como alface, rúcula, brócolis e agrião, por exemplo; tomate cereja; e até legumes maiores, como abobrinha e berinjela.

 

4. ILUMINAÇÃO NATURAL: Mais qualidade de vida sem nenhum custo

Muito mais que economia na conta de energia, a luz natural proporciona conforto visual e bem-estar. No organismo, a luz solar é responsável pela síntese de vitamina D e a absorção do cálcio nos ossos, ou seja, quem passa muito tempo em ambientes escuros pode ter carência dessas substâncias tão importantes. Para quem vai construir: invista em projetos que prezem pelo conforto ambiental, com estudo de terreno e posição solar. Quem vai adquirir imóvel pronto: observe as janelas e aberturas, que devem ser amplas para entrada de luz e circulação do ar. Pisos e paredes claras auxiliam a dispersar a luz, promovendo sensação agradável.


5. AQUECIMENTO SOLAR DA ÁGUA: Consciência ambiental e economia na conta de luz 

Trata-se de um sistema bastante simples, formado por placas solares, reservatório térmico e circuito hidráulico com tubulação de cobre. Grande parte do Brasil recebe em média oito horas de raios solares diariamente, um potencial enorme, que é muito pouco explorado.

Há algum tempo, adquirir um sistema de aquecimento solar era caro, no entanto, diversos avanços tanto em políticas públicas quanto na tecnologia reduziram consideravelmente os preços para compra e instalação de microusinas geradoras, que têm praticamente nenhum custo de manutenção.

 

6. TRATAMENTO ADEQUADO DE LIXO: Responsabilidade socioambiental

O lixo é um dos grandes males da humanidade e os esforços em tratar corretamente os resíduos que produzimos diariamente é um dos grandes desafios dos governos.

Separar o lixo orgânico do reciclável já é um hábito na maioria das famílias nas grandes cidades. A coleta seletiva é realizada e incentivada em quase todas as capitais do País, e, hoje, muitos condomínios já apresentam uma estação própria para dar destino correto aos resíduos.

O lixo orgânico pode virar adubo para a horta doméstica que falamos acima, e deve ser separado do reciclável (vidros, plásticos, metais, embalagens “longa vida” – que devem ser lavados e secos antes de irem para a lixeira –, e papéis secos). Lâmpadas, espelhos, pilhas e lixo eletrônico devem ser descartados em local específico. Consulte a prefeitura da sua cidade sobre essa coleta.

 

O bairro Cacupé, em Florianópolis tem boas opções de imóveis residenciais com características que podem colaborar para a sustentabilidade dentro de casa.

Tire suas dúvidas